Imagem

Preocupado com a possibilidade de desemprego de mais de três mil trabalhadores com o advento das catracas eletrônicas nos ônibus e com a prestação de um melhor serviço à população, o deputado J. Carlos (PT) apresentou o Projeto de Lei n° 20.748/2014, na Assembleia Legislativa. A matéria dispõe sobre a orientação e o auxílio ao usuário dos ônibus que integram o sistema de transporte coletivo urbano e intermunicipal na Bahia.

De acordo com o primeiro artigo do projeto, os ônibus que integram o sistema de transporte coletivo baiano deverão ter, no mínimo, um funcionário, além do motorista. Este terá a função de orientar e auxiliar o usuário, além de efetuar a cobrança da passagem, caso seja necessário. "A presença do cobrador no veículo também é importante para que o motorista se ocupe integralmente de sua função, a qual exige muita atenção, evitando, assim, paradas nos pontos por um tempo além do necessário por conta da execução de uma tarefa que, a rigor, não é sua atribuição, além de potenciais riscos de acidentes", frisou o deputado.

Outra questão ressaltada pelo parlamentar para justificar a aprovação do seu pleito é a potencialização da segurança dos trabalhadores, dos usuários e do próprio sistema de transporte coletivo. Segundo ele, a presença do cobrador no ônibus auxilia o motorista a tomar medidas preventivas para evitar que cenas criminosas se intensifiquem. "É um mecanismo eficiente para assegurar um mínimo de direito à cidadania para milhões de pessoas que dependem do sistema de ônibus para se locomover ou para ganhar o pão de cada dia", afirmou J. Carlos, acreditando na sensibilização de seus pares.

Fonte: www.alba.ba.gov.br