Roberto Jefferson diz que não tem "plano b" e que Cristiane Brasil "paga preço" por ser filha dele

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, alegou que sua filha, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), sofre reprimendas por seus laços familiares. "Ela está pagando o preço por ser minha filha", disse em entrevista à Rádio Gaúcha na terça-feira (9). Ele ainda alegou perseguição política. “Este movimento é ligado ao PT”, disse. 

Ela foi impedida nesta terça de tomar posse como ministra do Trabalho pelo Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2). O vice-presidente da corte, desembargador federal Guilherme Couto de Castro, negou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão do juiz federal Leonardo da Costa Couceiro, da 4.ª Vara Federal de Niterói (RJ), que havia suspendido a nomeação e a cerimônia de posse da deputada.

A deputada já respondeu a duas ações trabalhistas por não assinar a carteira de dois motoristas particulares. "Na época ela era deputada, cidadã e não ministra. A Justiça do Trabalho trata o empregador como um criminoso”, criticou. 

De acordo com a Coluna do Estadão, após se reunir com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, Roberto Jefferson que o partido “não tem plano B” e que a indicação da sua filha, Cristiane Brasil, para o Ministério do Trabalho, está mantida.

Interlocutores do governo avaliam que, para evitar desgastes, seria melhor que a deputada desistisse de assumir o comando da pasta.
 

 

;