Fiéis celebram dia de Santa Luzia em Salvador; veja programação

Protetora dos olhos e padroeira dos oftalmologistas, Santa Luzia terá uma programação especial para celebrar o seu dia nesta terça-feira (13), em Salvador. A partir das 6h serão celebradas missas na Paróquia Nossa Senhora do Pilar e Santa Luzia, no Comércio. Também estão marcadas celebrações às 8h, 15h e 17h. 

Uma missa solene vai ser celebrada pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Gilson Andrade da Silva, às 10h. Em seguida, os fiéis vão sair em procissão com a imagem da santa até a Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, retornando até a Paróquia Nossa Senhora do Pilar e Santa Luzia.

No dia da santa, os fiéis aproveitam para lavar os olhos com a água que corre em uma gruta dentro da Paróquia de Nossa Senhora do Pilar e Santa Luzia. A água corre desde o século 17, dia e noite, e que nunca secou.

Fiéis lavam os olhos com água que brota de gruta dentro de paróquia
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Conheça a história da santa
Nascida em uma família rica e cristã, na cidade de Siracusa, na Itália, no ano de 283, Luzia era considerada como uma das jovens mais belas do local. Aos cinco anos perdeu o pai e cresceu sob os cuidados da mãe, que sofria de graves hemorragias. Certo dia, ao peregrinar na cidade de Catânia, Luzia e a mãe acompanharam o Evangelho pregado durante a Missa, o qual falava sobre a cura da mulher que padecia de hemorragias. A jovem, então, pediu ao Senhor que a mãe ficasse curada e foi rezar junto à imagem de Santa Águeda. No mesmo instante, a cura aconteceu.

Ao chegarem a casa onde elas moravam começaram a distribuir todos os bens aos pobres. Percebendo que Luzia e a mãe eram cristãs, um jovem que vivia no local denunciou-as ao prefeito de Siracusa, que as enviou ao Imperador Diocleciano. Como Luzia se mostrou firme diante da fé que carregava, acabou sofrendo inúmeras crueldades.

Vendo que não seria possível convertê-la, Diocleciano mandou jogá-la numa casa de prostituição, mas ninguém conseguia tirar Luzia do local onde ela se encontrava, os pés ficaram firmes no chão. Em seguida, tentaram queimá-la viva, mas as chamas nada fizeram contra ela. Por fim, os soldados arrancaram-lhe os olhos e os entregou em um prato à jovem. No mesmo instante, na face de Luzia, brotaram outros olhos. Vendo que nada a fazia renegar a fé em Jesus Cristo, mandaram degolar a menina.

Era 13 de dezembro de 304. A partir deste dia teve início a devoção à Santa Luzia, primeiro na Itália e depois por toda a Europa. Atualmente ela é conhecida como a “Santa da Visão”.

Fonte: Correio24horas

 

;