Vitória escapa da queda pelas suas próprias pernas e suas forças, vibra Mancini

O técnico Vagner Mancini valorizou a permanência do Vitória na Série A do Campeonato Brasileiro, apesar da derrota da equipe para o Flamengo por 2 a 1, no estádio do Barradão, neste domingo (3), em Salvador, pela última rodada. O Leão terminou o certame nacional na 16ª colocação com 43 pontos. Mesma pontuação dos rebaixados Coritiba, em 17°, e Avaí, 18°. Para o treinador, o objetivo foi alcançado e o torcedor do rubro-negro baiano pode sair nas ruas para comemorar.

"O Vitória escapa do rebaixamento pelas suas próprias pernas e pelas suas forças, porque somou os pontos necessários para isso. Não vou permitir que alguém fale o contrário do Vitória. Se saiu um gol em Chapecó ou aqui no último minuto, isso é do futebol. A gente tem que entender e exaltar esses atletas que lutaram muito dentro de campo, foram guerreiros e honraram a camisa do Vitória. O torcedor do Vitória pode sair na rua e comemorar, porque não foi fácil. Não foi fácil pegar o time com 12 pontos. Hoje posso falar que o Vitória estava virtualmente rebaixado e com uma campanha de 47% que nos daria vaga na Libertadores, se fosse no início do campeonato, o Vitória consegue se livrar da segunda divisão", declarou. O comandante do Leão também lembrou como estava o clube quando retornou ao Barradão.

"Na minha chegada, a gente viu um Vitória diferente do que eu encontrei em 2008, 2009, 2015, 2016. Era um Vitória que não tinha um rumo. Eu tenho que exaltar o trabalho de Argel, do Petkovic e do Alexandre Gallo, porque eles também somaram pontos. Mas Vitória viveu um momento muito complicado delicado na parte interna e ainda vive. O que foi mais batido na minha chegada foi blindar o futebol e fazer com que o Vitória apenas jogasse futebol", disse. Mancini ainda falou do momento político conturbado do clube e pediu que as coisas sejam diferentes em 2018. "O ano de 2018 vai se iniciar e o Vitória tem que se reorganizar, porque não pode passar esse sufoco que passou. O ano do Vitória foi extremamente negativo, mas teve um saldo positivo no final. É importante que a parte política se resolva, porque não pode danificar o clube, uma instituição de mais de 100 anos que tem milhões de torcedores. Peço que quem entre (como presidente), entre com coerência e consciência, que faça as coisas certas", pediu.

Fonte: Bahia Notícias

;