Patrões e Comissão dos rodoviários discutem PLR 2016

Na primeira reunião agendada para discutir a PLR, realizada na manhã desta terça-feira (13), os patrões anunciaram que não vão pagar a PLR 2016 porque não atingiram a meta de 28 milhões de passageiros. 

Segundo eles, os motivos seriam a queima de ponto (absenteísmo) e a fraude nos cartões, que teriam levada a uma queda na arrecadação. 

O Sindicato dos Rodoviários discorda dos patrões e responsabiliza os empresários e poder concedente que não colocaram em prática a Força Tarefa para combater o transporte clandestino como previsto no acordo.

A estatística de 2016 ainda não foi fechada, mas a estimativa do sindicato patronal é de 24 milhões de passageiros, mais 1.5 milhão do metrô, que também vai contar na soma da PLR, perfazendo algo em torno de 26 milhões de utilização do sistema. Segundo os patrões, a gratuidade e o desemprego da população também contribuíram para a redução no número de passageiros no sistema.
“Nós cumprimos a nossa parte no acordo. Quem não fez a sua parte foram os patrões e o poderes públicos que não combateram os clandestinos, que na nossa avaliação é o fator mais importante nesse cenário”, destacou o presidente do Sindicato Hélio Ferreira. 

A direção do Sindicato vai se reunir para tirar uma posição. Uma nova reunião com os empresários ficou agendada para o dia 10 de janeiro, quando o patronal deverá apresentar dados completos sobre o desempenho do sistema em 2016. 

 

;