Rodoviários cobram reforço da polícia no combate aos assaltos a ônibus

Segundo o Sindicato, de janeiro até agora são mais de 2 mil assaltos a coletivos em Salvador.

Rodoviários da Bahia se reuniram com o titular do Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (GERRC), José Nélis Araújo, e o comandante da Operação Gêmeos, major Edson, para solicitar reforço na segurança aos coletivos nesse período do ano, quando as estatísticas apontam aumento nos assaltos. O encontro aconteceu na quarta-feira (23), em Salvador.

Segundo o Sindicato, o presidente, Hélio Ferreira, também apresentou as demandas da categoria e cobrou celeridade na captura do assaltante que baleou o cobrador na Avenida Bonocô, no último dia 14 de dezembro.

A proposta do Sindicato é que o Estado crie uma polícia com delegacia, setor de investigação, homens preparados e equipamentos exclusivos para o combate aos assaltos a coletivo. “Está provado que com a estrutura de que dispõe hoje e as atribuições que envolvem outros tipos de crime, a polícia não consegue coibir os assaltos. O aumento nos números estão aí mostrando um crescimento preocupante”, afirma o presidente.

De janeiro até agora são mais de 2 mil assaltos a ônibus em Salvador, segundo dados da Secretária de Segurança Pública de Salvador (SSP-BA).

Insegurança nacional 

A insegurança nos coletivos é um problema em esfera nacional. A CNTTL/CUT promoveu uma paralisação nacional em diversas capitais brasileiras no último dia 16 de dezembro cobrando mais segurança, garantia do cobrador/agente de bordo, em defesa da democracia e não ao golpe.

Para o presidente da CNTTL/CUT e do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba, Paulo João Estausia, Paulinho, a segurança pública foi esquecida pelas autoridades e os trabalhadores têm sido alvos de assaltos à mão armada e de ataques covardes de queima de ônibus.  "No dia 1º de dezembro, em Porto Alegre nove ônibus e um micro-ônibus foram incendiados e um motorista sofreu ferimentos leves. Outro caso de violência aconteceu em Jataí (Goiás), no dia 2, onde sete ônibus, dois caminhões foram incendiados”, relata Paulinho.

Após a paralisação, os rodoviários de Brasília, do Rio Grande do Norte, já conseguiram abrir diálogo com as Secretárias de Segurança Pública do Estados para combater à violência nos ônibus . A CNTTL continuará na luta em defesa da segurança dos trabalhadores. 

Transportando CNTTL-CUT
Secretário Nacional de Comunicação: José Carlos da Fonseca
Agência: Mídia Consulte Comunicação 
Editora:Viviane Barbosa MTB - 28121 
Redatora: Vanessa Barboza MTB-74572
Assessoria de Comunicação: Mídia Consulte 

;