Com verba da AL-BA, deputados gastam R$ 350 mil em pesquisas eleitorais


Na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado Robinho (PP) não é de muito papo. Mas, nos bastidores, ele anda bem informado se tomarmos como base o número de pesquisas que ele bancou com sua cota orçamentária disponibilizada pela Casa. Em seis meses, o pepista contratou seis diferentes pesquisas. Os registros estão no portal de transparência da Casa.

Os dois primeiros levantamentos foram feitos em fevereiro deste ano. Em março, abril, maio e junho, o parlamentar contratou mais uma aferição por mês. Cada pesquisa custou R$ 9,7 mil, totalizando R$ 58,2 mil. Consta na AL-BA que o recebedor do valor foi Wanderley Magno de Souza, que tem em seu nome a empresa Decisão Assessoria de Pesquisa Comunicação e Evento, com sede em Itabuna.

Mas Robinho não é o único. Levantamento do Metro1 na AL-BA mostra que, mesmo com 16 meses meses de distância para o pleito de 2020, 17 parlamentares contrataram, este ano, algum instituto. A soma dos contratos ultrapassa R$ 350,5 mil. Outros recordistas em contratações de pesquisas são os deputados Vitor Bonfim (PL), Eduardo Alencar (PSD) e Euclides Fernandes (PDT). Cada um contratou quatro pesquisas. Bonfim e Alencar contratam sempre a empresa Seculus Consultoria e Assessoria, que tem em seu quadro societário Ari Carlos Rocha Nascimento e Pedro Victor Oliveira Rocha Nascimento.

Em 2015, Ari Carlos estava envolvido em uma celeuma que perpassava pela Lava Jato. A revista Veja revelou que ele fora contratado pelo então deputado federal Luiz Argôlo logo após ser sua testemunha de defesa em inquéritos do processo. De nada adiantou, pois Argôlo, mais tarde, fora preso.  Além destes, contrataram pesquisas os deputados Júnior Muniz (2), Luciano Simões Filho (3), Laerte de Vando (3), Adolfo Menezes (1), Pastor Tom (3), Rogério Andrade Filho (2), Antonio Henrique Júnior (1), Alan Sanches (1), Pedro Tavares (1), Dal (1), Carlos Geilson (1) e Paulo Câmara, que no primeiro mês na Casa já fez uma contratação.

Fonte: Metro 1
Foto: Divulgação / Metro 1

;