Defesa Civil aponta que 90% de mais de 600 casarões antigos de Salvador correm algum risco de desabar

Dos 639 casarões antigos existentes em Salvador e cadastrados junto à Defesa Civil municipal (Codesal), 90% correm algum risco de desabar, aponta um levantamento feito pelo órgão, divulgado nesta terça-feira (26). A situação é ainda mais preocupante porque de cada 10 imóveis, seis são habitados.

A maioria dos casarões está no bairro do Comércio e na região do Centro Histórico. Dos que apresentam algum risco, conforme a Codesal, 140 podem desabar a qualquer momento.

Em um dos imóveis, na Rua do Julião, no Comércio, moram sete famílias. "Não tinha outro lugar. Para debaixo da ponte que eu não vou com a minha filha, não é? Invadi esse prédio aí com a minha esposa e meus filhos e estamos aí com o pessoal", afirma o ambulante Rogério Gomes.

Em outro casarão na mesma região, as estruturas de ferro usadas para escorar o imóvel estão tão oxidadas que algumas partes já se quebraram. Quem mora no local ou passa por perto se diz preocupado. "A gente transita aqui no dia a dia e é perigoso, estar passando e a parede cair. É uma pena porque esse casarão estava bonito e hoje está degradado", afirma o sapateiro Sílvio Roberto.

A Codesal disse que notifica os proprietários dos imóveis e alerta os moradores sobre os riscos.

Por meio de nota, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) disseram que fazem vistorias para identificar problemas para preservar o patrimônio cultural, mas que a responsabilidade pela conservação, limpeza e segurança do imóvel, mesmo estando tombado, é do proprietário.

Fonte: G1 Bahia
Foto:Corpo de Bombeiros

;