Megaoperação de Carnaval contará com reforço tecnológico e atendimento especial às mulheres

Foi apresentado na manhã desta terça-feira, 26, a megaoperação montada para o Carnaval 2019. Na ocasião o governador Rui Costa esteve presente, assim como o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, os comandantes-gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, coronel PM Anselmo Brandão e coronel BM Francisco Teles, respectivamente, o delegado-geral da Polícia Civil, Bernardino Brito Filho, e diretor-geral do Departamento de Polícia Técnica, Élson Jefferson.

Entre as novidades está nos portais de abordagem da SSP-BA. Cada um ganhará reforço de câmeras com sistema de reconhecimento facial. Também haverá revista na entrada para evitar que pessoas tenham acesso ao circuito portanto armas de fogo e amas brancas. Com esta iniciativa, o suspeitos que possuem mandado de prisão em aberto poderão ser identificados.

A tecnologia será implementada nos portais localizados nos circuitos Dodô (Barra), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho). Ato todo foram investidos R$ 46 milhões pela SSP na festa. Além da capital baiana, 45 municípios baianos vão receber reforços de agentes, equipamentos e tecnologia.

No total, 26 mil policiais, militares e técnicos, além de bombeiros irão atuar nos três circuitos oficiais, carnavais de bairro e o interior, com o intuito de desempenhar ações preventivas, resgates e atendimento médico.

Implementação de tecnologia

Em Salvador serão implementados 69 postos policiais. Os agentes contarão com detectores de metal distribuídos nos circuitos, sendo 13 para o Dodô, 22 para o Osmar e 7 para o Batatinha.

O circuito também irá contar com 430 câmeras que vão acompanhar as aglomerações, entradas e saídas dos circuitos, incluindo a câmera 360º, que consegue acesso a grandes espaços. Há também uma câmera com a possibilidade de zoom 45x. Os policiais também contarão com 14 drones para auxiliar no monitoramento de situações que ocorram no solo. Um superdrone será disponibilizado, este possui funcionalidades mas específicas para prevenir a violência e permitir a rápida atuação policial.

Atendimento para mulheres

O público feminino receberá atendimento específico durante a folia momesca. O circuito terá Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deams) e de Atendimento às Vítimas de Racismo e Intolerância.

Também fora do circuito terão equipes do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), que reúne 30 instituições estaduais, federais e municipais para realizar trabalho integrado.

Polícia Militar atua na terra e no ar

Com 21 mil policiais militares em todo o estado, o efetivo também vai atuar em rodovias estaduais e nos municípios do interior, onde ocorre a folia momesca.

Ao todo serão 42 portais de abordagem, nos 216 postos elevados de observação e em 40 postos de comando, sendo oito de unidades especializadas da PM, oito de reunião de tropa e 13 integrados com a Polícia Civil, Departamento de Polícia Técnica e Corpo de Bombeiros Militar.

Já no esquema de segurança, a PM irá atuar com carros, motos, caminhões, cavalos, helicópteros, drones e aviões do Grupamento Aéreo (Graer).

Neste ano a PM realiza a Operação Folia e Paz, que visa reforçar o radiopatrulhamento ao redor dos circuitos, estações de transbordo e corredores de tráfego. A operação busca oferecer mais segurança aos foliões antes, durante e depois da folia.

Os Batalhões Especializados em Polícia Turística (Beptur) e de Polícia Rodoviária (BPRv) irão acompanhar os veículos de transporte turístico que saem do aeroporto com destino aos hotéis localizados no Litoral Norte e também em circuitos da festa.

Também haverá policiais com fluência em inglês, espanhol, alemão, francês e italiano espalhados nos circuitos, Porto Marítimo e 24h no Aeroporto Internacional de Salvador. Eles estarão com braçais com o símbolo de informação e das bandeiras correspondentes ao idioma falado.

Operação Abadá

Iniciada em 22 de fevereiro, a Operação Abadá visa prevenir roubos das fantasias dos foliões. O policiamento foi reforçado nos principais pontos de entrega das fantasias.

Documentos perdidos

Os documentos perdidos durante a folia serão levados ao Quartel do Comando Geral (QCG), localizado no Largo dos Aflitos, onde funciona a Ouvidoria da PM. No local irá ocorrer a triagem e cadastramento. O folião que perder algum documento deve acessar o site da PM, clicar no link "Documentos Perdidos" e verificar de a polícia localizou a identificação perdida. Para retirar é necessário que a pessoa apresente o número do lote do documento cadastrado.

Caso o folião não retire durante o carnaval, deve se dirigir ao SAC do Shopping Barra a partir da primeira segunda-feira, após o carnaval, no dia 11 de março para fazer o resgate da identificação.

Polícia Civil irá atuar com postos do Deam

A Polícia Civil terá um efetivo de três mil policiais entre delegados, escrivães, investigadores, administrativos e digitadores. Os agentes atuarão em postos da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), para o Adolescente Infrator (DAI), Postos de Atendimento a Vítimas de Racismo e Outros Delitos de Intolerância (PAVRI), que ficará localizado no Passeio Público, no Circuito Osmar.

Serão disponibilizados 34 postos policiais nos circuitos oficiais, em regime de plantão 24h. Além dos postos de Unidades Especializadas, haverá 13 Postos Policiais Integrados (PPIS), sete Centrais de Flagrante (CFs), três Delegacias Especiais de Área (DEA) e três do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco).

O Departamento de Polícia Metropolitana (Depom) terá reforços nos efetivos das Delegacias Territoriais, além dos Postos Especiais, no Aeroporto Internacional de Salvador, Terminal Rodoviário de Salvador, Hospital Geral do Estado (HGE), Hospital do Subúrbio, Hospital Geral Roberto Santos e no Hospital Ernesto Simões Filho.

Departamentos Especializados serão reforçados no circuito

O Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) atuará com o objetivo de desarticular o tráfico tanto antes, quanto durante o carnaval. As operações Voo Livre, Pista Limpa e Mar Azul são realizadas desde janeiro, visando impedir que ocorra a entrada de drogas na cidade e serão complementadas durante a folia.

Já o Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) coordenará o transporte de custodiado e apresentação em audiência de custódia. O DCCP vai reforçar as Delegacias de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) e Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) e o Grupo de Repressão a Roubos em Coletivos (GERRC).

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) terá equipes de Serviço de Investigação no Local de Crime (SILC) na Barra, Ondina e Piedade.

Além de unidades presenciais, o folião também poderá contar com a Delegacia Digital. O acesso será feito através do site e é possível fazer registro de ocorrência de furto, perda e extravio de documentos e objetos. Os usuários poderão receber a confirmação do registro através do e-mail em até 24h.

Corpo de Bombeiros

Ao longo da festa momesca, 2.220 Bombeiros Militares fão atuar. Sendo eles, 1.658 na capital e 562 no interior. A festa também contará com Postos de Comandos (PCBOMs).

Em Salvador os circuitos receberão oito PCBOMs, com postos elevados. Além disso o espaço terá Viaturas Auto Bomba Tanque Salvamento (ABTS), para atender em situações com celebridade.

Os circuitos também contarão com ambulâncias do Salvar. A praia a Barra terá um Posto de Comando do Gmar (PCMAR), para orientar os banhistas e observar a segurança dos que entram no mar.

Antes e depois da folia, o Comando de Atividades Técnicas e Pesquisa (CATP) irá fazer vistorias, sendo eles nos trios elétricos, camarotes, palanques e arquibancadas. Os agentes avaliam se estão de acordo com a legislação vigente, gerando segurança.

O Corpo de Bombeiros também distribuirá pulseirinhas de identificação nas cores azul, rosa, amarelo, laranja e vermelho. O intuito é orientar os responsáveis e as crianças sobre a importância da identificação. Elas são reutilizáveis e podem ter contato com a água.

Departamento de Polícia Técnica

O Departamento de Polícia Técnica (DPT) atuará com 345 peritos, distribuídos em cinco postos espalhados nos três circuitos. Eles irão realizar identificação civil e de drogas, além de laudos de lesões corporais.

A atuação inicia antes das festas carnavalescas, onde o DPT avalia as estruturas como camarotes e trios, analisando as questões de engenharia e segurança de profissionais e foliões.

O DPT irá atuar em conjunto com a Polícia Civil para realizar ações de combate ao tráfico e entorpecentes. Na sede da instituição terá equipes que vão atuar em outras demandas.

 

Fonte: A Tarde

;