ESCÂNDALOS MARCAM RETA FINAL DAS ELEIÇÕES

Essa já é a eleição presidencial mais polarizada da história do país.

Nos últimos dias, além do escândalo das fakenews - que é muito mais grave do que se diz no momento – milhares de pessoas viram, estarrecidas, o vídeo picante que teria sido gravado com um dos candidatos ao governo de São Paulo e se espalhou como vírus na internet, e as declarações de um suposto coronel que xingou a presidenta do TSE e ameaçou membros do STF e do TSE.

Que nível de campanha!... Atos de intolerância e truculência, de ameaça à democracia, de desrespeito às autoridades constituídas e a cidadãos que pensam diferente, se repetem e vão sendo encarados com normalidade. 
É muito ruim o clima que se instalou no país nestas eleições.
Além das ameaças ao patrimônio nacional, aos programas sociais, aos avanços das políticas públicas de cotas e igualdade de direitos, estamos em alerta com a ameaça aos DIREITOS TRABALHISTAS.
O fim do 13°, do adicional de férias, da licença maternidade, e a extinção de sindicatos já são dados como certos pelas entidades patronais. O candidato da direita – que foi deputado por 28 anos - deixou bem claro seu pensamento quando afirmou: “É menos direito e emprego ou todos os direitos e desemprego"; e quando anunciou entre seus primeiros atos de governo a votação da reforma da Previdência que praticamente acaba com o sagrado direito do trabalhador brasileiro a aposentadoria.
O outro candidato, que já foi Ministro da Educação e criou ou ampliou todos os programas que permitiram ao jovem carente se tornar doutor – tem outra proposta: revogar a reforma trabalhista, retomar as obras públicas paradas para gerar emprego, mais Minha Casa Minha Vida, isentar de Imposto de Renda quem ganha até cinco salários mínimos, taxar as grandes fortunas que hoje pagam menos impostos que os assalariados e outras iniciativas favoráveis aos trabalhadores e à maioria da população.
É hora de refletir. 

É AVANÇAR OU RETROCEDER. 

A DECISÃO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS!

;