Os golpes e suas semelhanças

O histórico golpe de 1964 contra o governo de João Goulart, para dar posse as forças armadas, foi friamente calculado desde 1962, quando houve toda uma organização para que o golpe acontecesse com sucesso. 

Para garrotear o governo brasileiro, uma movimentação sorrateira foi elaborada pelo presidente dos Estados Unidos da América, John Kennedy, que, na época (1962), injetou cerca de 5 milhões de dólares para financiar o golpe por conta de seus interesses escusos no Brasil.
Um golpe arquitetado e perpetrado pela elite da época, que roubou o governo de um presidente que estava realizando reformas importantes e fortalecendo a economia nacional e a classe trabalhadora brasileira. Tudo isso para por o país nas mãos daqueles que os detentores do capital queriam. 
Com o golpe de 2016 não foi diferente. 
A classe empresarial projetou um habilidoso “puxa tapete” logo após a eleição de 2014 para poder interromper os avanços e melhorias que os trabalhadores vinham conseguindo nos últimos anos.
O preocupante é que o golpe iniciado em 2014 ainda está em curso!
Com a maioria dos parlamentares agindo como os carrascos medievais que eram pagos pra levar as pessoas direto pra morte, os trabalhadores brasileiros veem seus direitos sendo ceifados por deputados e senadores que estão dispostos a tudo para enriquecer o seu patrimônio. 
Os atores dos dois golpes podem até ser diferentes, mas o sentido é o mesmo... Entregar o país aos lobos detentores do capital, enfraquecendo a soberania nacional e retirando direitos da classe trabalhadora e dos mais pobres.
O recuo da votação da reforma da previdência nos deixou uma lição:
O povo na rua é o principal instrumento para frear o curso deste golpe. 
Precisamos estar unidos e mobilizados para lutar por direitos conquistados. 
JUNTOS SOMOS MAIS FOTES!

;